Da quarta divisão ao título

Da quarta divisão ao título
Faixa da torcida do Rangers com os dizeres "A jornada é longa, acabou de começar" (Reprodução: @RangersFC no Twitter)

Gerrard devolveu o Rangers ao topo do futebol escocês.

O Rangers FC tem uma história de glórias. É o maior campeão da Escócia, com 55 títulos do Campeonato Escocês, e dezenas de outros títulos nacionais empilhados ao longo de seus quase 150 anos de história. No último domingo o clube confirmou o título da liga após o empate em 0 a 0 do maior rival Celtic contra o Dundee United, que antecipou o título do time de Steven Gerrard, com 20 pontos de vantagem no momento.

Seria um título especial de qualquer forma, mas ganha ainda mais sabor após um jejum de 10 anos, vindo da quarta divisão, enquanto o mesmo Celtic imperava solitário em terras escocesas.

A história desse triunfo começa justamente com a falência do (na época) Glasgow Rangers, decretada em 2012, após uma dívida de mais de 26 milhões de euros junto ao governo britânico. Expulso da Scottish Premier League (a primeira divisão), o clube teve que começar sua caminhada na última divisão nacional e com um novo nome: The Rangers Football Club (a lei europeia impede a manutenção do nome em casos de falência).

Da queda abrupta até o título o Rangers teve anos difíceis mas se reconstruiu aos poucos. Comprado pelo empresário britânico Charles Green, o time conseguiu 3 acessos no período de 4 anos. Mesmo assim, quando retornou para a elite do futebol escocês, não conseguiu sequer rivalizar com o Celtic por um bom tempo. Desde o retorno à primeira divisão em 2016, o lado azul de Glasgow só soube novamente o que era vencer o rival em dezembro de 2018, já com Gerrard em seu segundo clássico.

Nesse período todo o Celtic foi absoluto. Após o último título dos azuis em 2011, em todas as outras 9 temporadas o campeão vestia verde e branco. Os dois times têm uma rivalidade histórica que ultrapassa as quatro linhas e reflete questões religiosas (catolicismo do Celtic x protestantismo dos Rangers) e até geopolíticas (questão da Escócia no Reino Unido)

As boas-vindas da torcida do Rangers após a vitória do time contra o Livingston (ainda sem a confirmação do título)

Mas após bater na trave com o vice-campeonato por dois anos, a lógica se inverteu e o torcedor voltou a comemorar. Com o ataque mais goleador e uma defesa absoluta composta pelo inglês Tavernier e pelo croata Barišić, que concedeu apenas 9 gols em 32 jogos, o time teve uma temporada relativamente tranquila, diferente de seus anos anteriores.

O título nacional também é o primeiro da carreira promissora de Steven Gerrard como treinador. O inglês comandou o time por 159 jogos, tendo apenas 20 derrotas em sua passagem até aqui. Com exceção do próprio rival Celtic, os outros clubes da Escócia não são dos mais competitivos, mesmo assim, a média de 2.21 pontos por jogo significam a solidez do trabalho de Gerrard no Rangers. Com grande mercado na Europa, resta saber se Gerrard irá continuar a brilhar em terras escocesas.

Gabriel Oliveira

Futebol brasileiro e mundial em textos com opinião, fatos e dados.

Comentários:

Ao enviar esse comentário você concorda com nossa Política de Privacidade.