Arte

05 livros de contos que você precisa ler

05 livros de contos que você precisa ler

Um conto é uma narrativa breve e restrita, com um pequeno número de personagens e centrada num único conflito. Já ouvi muitas pessoas dizendo que ler contos é perda de tempo, que vale muito mais a pena ler uma história mais extensa e com maior aprofundamento, como uma novela ou um romance. Mas será mesmo?
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Quando bem escritos, contos têm uma potência narrativa arrebatadora! Muitas vezes me peguei mais impactada por um conto da Clarice ou da Lygia Fagundes Telles do que por seus romances, já que, por serem curtas, essas histórias têm uma concentração absurda de reflexões, dores e alegrias que acabam sendo diluídas quando inseridas em livros de várias páginas.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Sendo assim, para te estimular a começar ou a ler ainda mais desse gênero, separei 5 livros de contos muito diferentes entre si, que agradam a todo tipo de leitor, mas que têm um ponto importante em comum: são leituras ótimas e necessárias que levantam discussões e reflexões importantíssimas e que me impactaram imensamente.

Ao lado das indicações, você encontra a sinopse do respectivo livro (todas foram tiradas do site da Amazon). Não esquece de comentar aqui embaixo qual desses você já leu ou tem vontade de ler! Ah, e lembra também de salvar para não perder essas recomendações 

Cat Person e outros contos – Kristen Roupenian

Nesta reunião de doze contos que tratam de amor, desejo, poder e consentimento, Kristen Roupenian se revela uma das vozes mais originais e provocativas da ficção contemporânea.

Kristen Roupenian era uma autora desconhecida até a publicação de “Cat Person”, em dezembro de 2017, no site da revista New Yorker. Narrando o encontro de Margot, de vinte anos, com Robert, de 34, a história toma rumos inesperados ao abordar as expectativas frustradas, as questões de gênero e as relações pautadas pelas dinâmicas digitais. O conto ganhou alcance excepcional e se tornou um fenômeno editorial ao retratar, numa prosa surpreendente e eletrizante, o amor em nossos tempos.
Ao longo de doze histórias, com tom ora sombrio, ora hilariante, a escritora explora com sensibilidade aguda e imaginação selvagem a realidade contemporânea com tintas por vezes absurdas ― e até mesmo assustadoras. Esta reunião de contos apresenta uma galeria de personagens profundamente humanos e, por isso mesmo, estranhamente inquietantes, que buscam se relacionar em dias marcados por angústias, contradições, perversões e uma dificuldade intransponível de comunicação.

Contos de cães e maus lobos – Valter Hugo Mãe

Único livro de contos de Valter Hugo Mãe, célebre por escrever romances marcados de lirismo e oralidade, Contos de cães e maus lobos traz onze narrativas que permeiam o universo infantil, entre a descoberta e o assombro.

O autor afirma não saber se dirigir ao público infantil, mas aqui compõe fábulas que repercutem em nossas leituras prévias, como se buscassem encantar a criança no adulto. Uma menina pobre que busca a riqueza interior, a mãe que aprende a lidar com a perda de um filho, um menino solitário que busca a felicidade nos livros, e a aparição de uma santa em um vilarejo, no inédito “Nossa Senhora de Vila do Conde”, conto escrito especialmente para esta edição. Leitores das mais variadas idades poderão ser atingidos pela força e pela sutileza dessas narrativas.

“Está nesses contos aquilo que está em toda a sua obra: o questionar das nossas certezas mais fundas, uma visita às profundezas da alma. A escrita de Valter sugere, a todo momento, que os outros somos nós mesmos. […] E é por isso que estes contos, mais do que gigantescos, não têm tamanho.” ― Mia Couto

Contos do nascer da terra – Mia Couto

Nesta reunião de contos breves, o premiado escritor Mia Couto conta histórias do cotidiano de Moçambique que tratam da identidade e do imaginário de um povo tão alegre quanto sofrido. Além de ser um dos maiores escritores de língua portuguesa dos nossos dias, agraciado com o prêmio Camões, Mia Couto trabalhou por alguns anos também como jornalista e contribuiu para diversos veículos de imprensa. A maior parte das histórias que compõem Contos do nascer da Terra foi publicada originalmente em jornais e revistas em 1996, e depois adaptada pelo escritor para este livro, que traz ainda um punhado de contos inéditos. Ao todo são 35 histórias breves que se baseiam no cotidiano quase mágico de Moçambique e exploram a sonora linguagem do português africano, revelando na escrita a identidade de um povo e o domínio muito próprio da cultura e da criatividade literária. Vemos aqui essa África que o Brasil tanto proclama como parte de sua própria matriz surgir na forma de contos que dão conta da diversidade e complexidade do mundo que, começando do outro lado do oceano, está tão presente na alma brasileira.

Laços de Família – Clarice Lispector

Com treze contos, esta coletânea contém algumas das obras-primas da narrativa curta brasileira. Neles, os personagens são sempre surpreendidos por uma modalidade perturbadora do insólito, no meio da banalidade de seus cotidianos. Clarice cria situações onde uma revelação, que desconstrói e ameaça a realidade, desvela a existência e aponta para uma apreensão filosófica da vida. A autora trata a solidão, a morte, a incomunicabilidade e os abismos da existência através da rotina de dona de casa (“Devaneio e embriaguez duma rapariga”, “Amor”, “A imitação da rosa”), do mergulho trágico em uma festa familiar nos 89 anos da matriarca (“Feliz aniversário”), da domesticação da natureza mais selvagem das mulheres (“Preciosidade”, “O búfalo”), ou dos pequenos crimes cometidos contra a consciência, como o drama do professor de Matemática diante do abandono e da morte de um animal.

No seu pescoço – Chimamanda Ngozi Adichie

A escritora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie vem conquistando um público cada vez maior, tanto no Brasil como fora dele. Em 2007, seu romance Meio sol amarelo venceu o National Book Critics Circle Award e o Orange Prize de ficção, mas foi com o romance seguinte, Americanah, que ela atingiu o volume de leitores que a alavancou para o topo das listas de mais vendidos dos Estados Unidos, onde vive atualmente. Ao trabalho de ficcionista, somou-se a expressiva e incontornável militância da autora em favor da igualdade de gêneros e raça. Agora é a vez de os leitores brasileiros conhecerem a face de contista dessa grande autora já consagrada pelas formas do romance e do ensaio. Publicado em inglês em 2009, No seu pescoço contém todos os elementos que fazem de Adichie uma das principais escritoras contemporâneas. Nos doze contos que compõem o volume, encontramos a sensibilidade da autora voltada para a temática da imigração, da desigualdade racial, dos conflitos religiosos e das relações familiares. Combinando técnicas da narrativa convencional com experimentalismo, como no conto que dá nome ao livro ― escrito em segunda pessoa ―, Adichie parte da perspectiva do indivíduo para atingir o universal que há em cada um de nós e, com isso, proporciona a seus leitores a experiência da empatia, bem escassa em nossos tempos.

Comentários:

Ao enviar esse comentário você concorda com nossa Política de Privacidade.