Opinião

Coluna rubro-negra

Coluna rubro-negra
⁃   Escreve sobre o Flamengo, pô! - disse o Teco pondo um ponto final na nossa conversa. Ele tinha pedido que eu assinasse uma coluna sobre futebol na Abertura. Eu respondi que não sou um cronista. Ele replicou dizendo que tenho o estilo de meu pai, Serjão Santana, recém-falecido. Eu disse que não, não tenho. E que, ao contrário de Serjão, não sei falar de futebol. E finalmente que meu único interesse, em se tratando de futebol, é o Flamengo.
⁃   Se te interessa o Flamengo, escreve sobre o Flamengo.
⁃   Uma coluna rubro-negra - pensei alto. - Será que vai funcionar? 
⁃   Garanto que sim - sentenciou o Teco. 

Escrever sobre o Flamengo não é moleza. O assunto é sério. Muita paixão envolvida. E muitas dúvidas. A mais recente: Paulo Souza. Grande dúvida. Enorme. Alguém conhece? Não, ninguém. Não minta dizendo que você se lembra da Fiorentina de 2015. Ninguém se lembra. Ninguém por aqui sabe do cara. Eu me lembro de um jogo da Polônia pelas eliminatórias. O time montado por Paulo Souza tinha dez jogadores na defesa dando chutões pro Lewandowiski isolado no ataque. Não achei um esquema muito elaborado.

Falando em Lewandowiski, tem gente dizendo que ele tá conversando com o Braz. Todo mundo sabe que é mentira. Mas todo mundo fica comentando esse tipo de notícia. Deve ser um baita negócio fabricar notícia falsa sobre o Fla. Até porque nem sempre é falsa. Pode ter um fundo de verdade. Por exemplo: a venda do Gabigol. Até acredito que tenha havido a sondagem dos europeus. Mas é óbvio que não vai ter venda nenhuma. O Gabi vai seguir por aqui. A grande, inelutável, hamletiana questão é a seguinte: ele e o Pedro vão enfim jogar juntos? Será que o Paulo Souza escala os dois, mais BH, Arrasca e Ribeiro?

Não sei, ninguém sabe. Só sei que a galera tá empolgada com o novo treineiro. Jesus foi divino, mas não voltará. Ponto. Paulo Souza é o homem da vez. Aliás, como diria uma amiga, que homem! Aquele topete vai fazer sucesso na night carioca. E isso definitivamente não é uma boa notícia. Já vejo a rapaziada das notícias falsas espalhando fofocas sobre as peguetes do Paulinho. Fofocas que nem sempre serão falsas. Ou que talvez tenham um fundo de verdade. Putz! Mas não importa: estamos todos confiantes no Portuga. Como diria um amigo, ficamos paulinizados. E como diria um outro amigo, viúva de Jesus é Maria Madalena.

Heresia? Pode ser. Talvez o Braz devesse ter insistido mais no Jesus. Ou talvez ele volte em maio. Quem duvida? O Flamengo é assunto sério. Muita paixão envolvida. O cara pode ser o melhor treinador do mundo, o Guardiola, o Rinus Michel. Perde o carioca, balança. Escala o Renê ou o Léo Pereira, balança muito. Aí a FLATT inventa uma amante pro cara e pronto: ele cai. Uma crisezinha em maio é um clássico rubro-negro.

Por isso eu repito: escrever sobre o Flamengo não é moleza. Essa minha coluna vai ser coisa braba. Por que diabos o Teco teve essa ideia? Uns vão dizer que o Flamengo é grande e tem muita torcida e tal. Outros vão dizer que o Teco é flamenguista. Sei não. Pra mim a razão é puramente literária. O Teco quer alguém pra substituir o Serjão. Acha que eu tenho o “estilo” dele. E eu só sei escrever sobre o Flamengo.
⁃ Então escreve sobre o Flamengo, pô! – ele concluiu sem outra ideia melhor.
Será que vai funcionar? O Teco garante que sim.

Comentários:

Ao enviar esse comentário você concorda com nossa Política de Privacidade.